DA DISTENSÃO POLÍTICA À NOVA REPÚBLICA: APONTAMENTOS SOBRE A VITÓRIA OPOSICIONISTA NO COLÉGIO ELEITORAL

Autores

  • Ivan Salomão Professor Adjunto da Faculdade de Ciências Econômicas e do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGE-UFRGS).

DOI:

https://doi.org/10.18227/2317-1448ted.v1i32.4085

Palavras-chave:

Nova República, José Sarney, Abertura política

Resumo

A abertura política promovida pelo regime militar remonta ao governo Geisel (1974-1979). Do início da distensão ao anticlímax representado pelo falecimento do presidente eleito no Colégio eleitoral, o processo de redemocratização enfrentou distintos desafios. Baseado na percepção de que o regime discricionário não poderia mais se legitimar no robusto crescimento de outrora, o restabelecimento da normalidade político-institucional sobreviveu às restrições da chamada “linha-dura” do exército, fortaleceu-se com a campanha das “Diretas-já” e assistiu, por fim, à articulação que levou José Sarney à chapa oposicionista. Abandonado pelas lideranças políticas, Sarney viu-se obrigado a buscar nas ruas a legitimação que faltava ao seu governo.

Downloads

Publicado

18/07/2019

Como Citar

SALOMÃO, I. DA DISTENSÃO POLÍTICA À NOVA REPÚBLICA: APONTAMENTOS SOBRE A VITÓRIA OPOSICIONISTA NO COLÉGIO ELEITORAL. Textos e Debates, [S. l.], v. 1, n. 32, 2019. DOI: 10.18227/2317-1448ted.v1i32.4085. Disponível em: http://revista.ufrr.br/textosedebates/article/view/4085. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos e Comunicações