Análise Comparativa de Concretos Estruturais Produzidos a partir de Agregados Graúdos Comercializados na Região Oeste do Pará

Antonio Rodrigo do Carmo Moreira, Cristiane Andrade Lima, Ian Paulo Gomes Duarte, José Renato Lima Aguiar

Resumo


Este estudo buscou comparar os agregados graúdos comumente utilizados no munícipio de Santarém-PA, entre eles, foram escolhidos as britas do município de Monte Alegre e Trairão, e o quebradinho amarelo (agregado miúdo grosso). Este último verificou-se a viabilidade de quando empregado no lugar do agregado graúdo, para assim obter resultados sobre o comportamento do concreto, nos seus devidos processos de cura de 3 e 7 dias, e seu período final de ganho de resistência à compressão aos 28 dias, concluindo assim qual o agregado que possui o maior custo benefício entre os escolhidos. O traço utilizado foi escolhido através de um estudo de campo para descobrir qual deles é comum utilizado em obras de pequeno porte no município, dessa forma, padronizou-se 1:2:3 para os 3 tipos de agregados analisados. Concluiu-se que, pelo fato de esses traços serem geralmente confeccionados com o agregado graúdo sendo a brita, o quebradinho amarelo não possui capacidade de atingir a resistência mínima para concreto estrutural para obras, ainda que, de pequeno porte, se não houver um cálculo específico para as características do material e ajustes no fator água cimento. Portanto, entre os materiais estudados, o qual proporcionou melhor custobenefício foi a brita de Trairão, apresentando custo inferior a brita de Monte Alegre e atingindo uma resistência final a compressão maior entre todos os agregados avaliados e dentro do limite mínimo exigido pela norma para que seja usado em concreto estrutural.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista sob Licença Creative Commons