Classificação Climática de Köppen-Geiger para o Estado de Goiás e o Distrito Federal

Autores

  • Murilo Raphael Dias Cardoso Universidade Federal de Goiás
  • Francisco Fernando Noronha Marcuzzo Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais
  • Juliana Ramalho Barros Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5654/acta.v8i16.1384

Palavras-chave:

Precipitação pluviométrica, temperatura, Cerrado, Climatologia separatista

Resumo

O clima exerce importante influência quanto à disposição na qual o espaço se apresenta e é um dos elementos mais importantes na variação e transformação do mesmo. Esse estudo teve como objetivo classificar o clima no Estado de Goiás e no Distrito Federal utilizando a metodologia de classificação proposta por Köppen-Geiger (1900) e adaptada por Setzer (1966). Os elementos climáticos analisados foram a precipitação pluviométrica e a temperatura do ar com dados adquiridos de 104 estações pluviométricas (ANA) e 48 meteorológicas (INMET), respectivamente. Esses dados foram especializados utilizando o método de interpolação Topo to Raster manipulados em um ambiente de SIG. Em relação aos dados de temperatura foi possível perceber que a região mais quente do Estado de Goiás é a Noroeste, enquanto a de temperatura mais amena é uma região localizada entre os municípios de Goiânia e Anápolis. Quanto à precipitação pluviométrica, as regiões com maior volume de chuva foram a região central do Norte goiano e no município de Piracanjuba, no Sudeste do Estado de Goiás. Foram identificados o Estado de Goiás quatro tipos de clima: Am, Aw, Cwa e Cwb, enquanto para o Distrito Federal apenas um tipo de clima foi identificado, o Aw.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Murilo Raphael Dias Cardoso, Universidade Federal de Goiás

Analista em Geoprocessamento na empresa DBO Engenharia Ltda. Mestrando em Geografia na UFG com ênfase no estudo da caracterização e classificação climática do bioma Cerrado. Graduado em Geografia na UFG (Universidade Federal de Goiás) foi estágiário no LAPIG (Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento) com bolsa da University of New Hampshire, foi monitor das disciplinas de Geoprocessamento e Cartografia com bolsa da UFG. Fez estágio na área de Geoprocessamento do Ministério Público do Estado de Goiás e na CPRM participando de estudos sobre recursos hídricos. Tem interesse em estudos dos biomas, principalmente o Cerrado, preservação dos recursos hídricos, morfologia de bacias hidrográficas, modelagem ambiental, climatologia, geoprocessamento, sensoriamento remoto, programação, ensino de geografia, metodologia de ensino e elaboração de material didático.

Francisco Fernando Noronha Marcuzzo, Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais

Formado pela UNESP (Universidade Estadual Paulista) em 2001 - Campus de Botucatu. Mestre em Irrigação e Drenagem pelo Departamento de Engenharia Rural da UNESP (Universidade Estadual Paulista) em 2004 - Campus de Botucatu. Doutor em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela USP (Universidade de São Paulo) Escola de Engenharia de São Carlos em 2008. Pós-doutorado em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela USP (Universidade de São Paulo) Escola de Engenharia de São Carlos. Atualmente é Pesquisador (concursado) em Geociências na área de Engenharia Hidrológica da CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais) - Serviço Geológico do Brasil - do Ministério de Minas e Energia. Trabalha com engenahria hidrológica, hidráulica, climatologia, evaporação, evapotranspiração, balanço hídrico, programação matemática linear, não linear, e algoritmos genéticos. Tem experiência na área de Engenharia de Recursos Hídricos, com ênfase em hidrologia, hidrometria, hidráulica e irrigação, atuando principalmente nos seguintes temas: fluviometria, pluviometria, pesquisa operacional, otimização matemática linear e não linear, algoritmos genéticos. Revisor de diversos periódicos científicos.

Juliana Ramalho Barros, Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em Geografia pela Universidade de Brasília (1999), mestrado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003) e doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2006). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Goiás e coordena o Laboratório de Climatologia Geográfica do Instituto de Estudos Sócio-Ambientais, onde também já exerceu a função de Coordenadora do curso de graduação em Geografia e Vice-Diretora. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Climatologia Geográfica, Metodologia de Pesquisa e Elaboração de Projetos, atuando principalmente nos seguintes temas: estudos regionais, ensino de climatologia, geografia da saúde e gestão de projetos.

Downloads

Publicado

02/03/2015

Edição

Seção

Artigos