AGRICULTURA FAMILIAR: REFLEXÕES SOBRE GÊNERO

marines rute de oliveira, Antonia Vilaca, Lidiane Maciel Mufatto

Resumo


Apesar das mulheres exercerem um protagonismo, no desenvolvimento rural, ainda encontram-se, nesse meio social, muitas questões relacionadas à desigualdade de gênero. Desta forma, torna-se relevante discutir essa problemática relativa à mulher rural, enquanto agentes de transformação, bem como sua participação no nível produtivo, considerando que há no Brasil, mais de 14 milhões de mulheres na agricultura familiar, 16% dos estabelecimentos da agricultura familiar são comandados por mulheres, e esses dados se repetem, nos vários estados federativos, sobretudo no estado do Paraná, conforme dados do Censo Agropecuário de 2010. Assim, o presente artigo objetiva possibilitar o diálogo em relação ao tema de gênero, especificamente no meio rural do Paraná, trazendo apontamentos para esses conjuntos de questões e também para algumas das políticas públicas, relacionadas diretamente as agricultoras familiares, sobretudo o PRONAF, além de apresentar um panorama sobre a agricultura familiar no Paraná.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Ricardo. VEIGA, José Eli. Agricultura familiar e desenvolvimento territorial. Instituto de Terras, São Paulo, SP, vol. 28 n. 1,2 3 e vol. 29, n.1, Jan/dez 1998 e jan/ago 1999. Disponível em: < http://wp.ufpel.edu.br/ppgdtsa/files/2014/10/Texto-Abramovay-R.-Agricultura-familiar-e-desenvolvimento-territorial.pdf. Acesso em: 05 out. 2015.

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Sejamos todos feministas. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

ALONSO, Angela. As teorias dos movimentos sociais: um balanço do debate. Revista Lua Nova, São Paulo, 76, 49-86, 2009.

ALVAREZ, Sonia E. A Globalização dos feminismos latino-americanos: tendências dos anos 90 e desafios para o novo milênio. In: Cultura e Política nos movimentos Sociais Latino-Americanos. Editora UFMG, Belo Horizonte, 2000.

ALVAREZ, Sonia E. Feminismos latino-americanos. In: Revista de Estudos Femininos. V. 6, n.2. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 1998. Disponível em: Acesso? em 15 jan. 2017.

BIANCHINI, Valter. O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – PRONAF e a sustentabilidade da agricultura no Vale do Ribeira – Paraná. Tese (Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento) – Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento (MADE/UFPR). Curitiba (PR), 2010.

BRASIL. Lei no 11.326, de 24 de julho de 2006, estabelece as diretrizes para a reformulação da política nacional da agricultura familiar e empreendimentos familiares rurais. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccvil_03/leis/11326.htm. Acesso em, out de 2015.

Brumer, Anita. (2006). A problemática dos jovens rurais na pós-modernidade. VII Congresso Latino-Americano de Sociologia Rural. Quito, Equador: Alasru.

ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. São Paulo: Editora Escala, 2009.

GEHLEN, Ivaldo; MÉLO, José Luiz Bica de. A dinâmica da agricultura no Sul do Brasil: realidade e perspectivas. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v.11, n.2, p. 99-108, 1997. Disponível em:< http://produtos.seade.gov.br/produtos/spp/v11n02/v11n02_12.pdf >. Acesso em: 05 bar 2017.

GOHN, Maria da Glória. História dos movimentos e lutas sociais: a construção da cidadania dos brasileiros. Edições Loyola: São Paulo, 1995.

GONÇALVES, Andréa Lisly. História e gênero. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2006.

GUALBERTO, Selena Castiel Gualberto. HONORATO, Patrícia Rafaela de Morais. Mulher pós-moderna: uma percepção acerca de sua multiplicidade de papéis. ULBRA. Instituto Luterano de Ensino Superior: 2012.

HOBSBAWM, Eric J. A nova Mulher. In: A era dos Impérios: 1875-1914. 7ª edição. Rio de Janeiro, Editora Paz e Terra, 1988.

HOBSBAWM, Eric J. Homem e Mulher: imagens da esquerda. In: Mundo dos trabalhos: novos estudos sobre história operária. 5ª edição. São Paulo, Editora Paz e Terra, 2008.

IBASE- Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas. Relatório PRONAF: resultados da etapa Paraná. Rio de Janeiro (RJ): IBASE, 2006.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo agropecuário. Rio de Janeiro, 2006.

IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2011). Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ trabalhoerendimento/pnad2011/microdados.shtm

Kreter, Ana Cecilia, e Bacha, Carlos Jose Caetano. (2006). Avaliação da equidade da previdência no meio rural brasileiro. Revista de Sociologia e Economia Rural, 40(3), 467-502.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. 14ª edição. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

Ministerio do desenvolvimento agrícola. http:// www.mda.gov.br/saf

PEDRO, Joana Maria. Mulheres – século XXI. (Artigo) In: Anais Fazendo Gênero. Seminário de Estudos sobre a Mulher. UFSC, 1996.

PERROT, Michelle. Os excluídos da história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

PINTO, Céli Regina Jardim. Uma História do Feminismo no Brasil. São Paulo: Editora, Perseu Abramo, 2006, p. 35-36.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

SCHNEIDER, Sergio. Da crise da Sociologia Rural à emergência da Sociologia da Agricultura: reflexões a partir da experiência Norte Americana. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, n. 2, v. 14, p. 225-256, 1997.

SCHNEIDER, Sergio. Agricultura familiar e desenvolvimento rural endógeno: elementos teóricos e um estudo de caso. In: FROEHLICH, J.M.; VIVEN, D. (org). Desenvolvimento Rural – Tendências e debates Contemporâneos. Ijuí: Unijuí, 2006.

SCOTT, Joan Wallach. Gênero uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 20, nº 2, jul./dez. 1995.

SOIHET, Rachel. Histórias das mulheres. In: CARDOSO, Ciro Flamarion. Domínios da história. 2ª edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

SOUZA, Celina. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, v. 8, n. 16, p. 20-45, jul/dez. 2006.

VIEIRA, Josênia Antunes. A identidade da mulher na modernidade. Universidade de Brasília. DELTA, 21: Especial, 2005 (207-238)

WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. Raízes históricas do campesinato brasileiro. In: TEDESCO, J.C. (org). Agricultura familiar: realidades e perspectivas, 3. Ed. Passo Fundo: EDIUPF, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v9i1.5321

Revista de Administração de Roraima -RARR
Roraima Management Review -RMR
e-ISSN: 2237-8057 | DOI: 10.18227/2237-8057rarr
Centro de Ciências Administrativas e Econômicas
Departamento de Administração
Universidade Federal de Roraima
Boa Vista - Roraima - Brasil

Telefone:+55 (95)3621-3149
Email:rarr.ufrr@gmail.com
Endereço:Av. Cap. Ene Garcez, 2413, bloco II, sala 243
Bairro Aeroporto, Campus Paricarana - UFRR
Cep:69310-000
Revista sob
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
Bookmark and Share