Fitossociologia de três sistemas agroflorestais com diferentes idades no município de Medicilândia, PA

Luiz Fernandes Silva Dionisio, Fabio Miranda Leão, Nágilla Gabriella Euzébio da Silva, Larissa Martins Barbosa, Marcelo Henrique Silva de Oliveira, Raphael Lobato Prado Neves

Resumo


Os sistemas agroflorestais surgem como alternativa à degradação dos recursos naturais, possibilitando a harmonia entre a agricultura e espécies florestais garantindo a sustentabilidade ambiental. O presente trabalho teve por objetivo avaliar a composição florística e comparar a estrutura de três sistemas agroflorestais com idades de 20, 30 e 40 anos no Município de Medicilândia, PA. Para análise florística e estrutural, realizou-se o censo florestal nos três sistemas agroflorestais, levantando todos os indivíduos arbóreos com diâmetro a altura do peito > 10cm. Para a análise horizontal foram considerados os parâmetros fitossociológicos absolutos e relativos de densidade, dominância, além do Índice de Valor de Importância Modificado. Parâmetros absolutos e relativos da posição sociológica, regeneração natural e o índice de valor de importância ampliado foram calculados para a análise estrutural dos sistemas. Os sistemas agroflorestais apresentaram distribuição diamétrica em forma de “J invertido”. Swietenia macrophylla e Tabebuia impetignosa foram as espécies mais importantes em todos os sistemas agroflorestais, devido à alta densidade. A condução da regeneração natural favoreceu o estabelecimento de espécies de valor comercial como Bagassa guianenses, Tabebuia serratifolia, Schilozobium amazonicum e Dipteryx odorata. Os sistemas agroflorestais apresentaram estruturas próximas as das florestas naturais, com alto percentual de espécies comerciais, o que denota sustentabilidade econômica e ecológica nestes sistemas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18227/1982-8470ragro.v11i1.3402

Direitos autorais 2017 REVISTA AGRO@MBIENTE ON-LINE

Revista Agroambiente On-line ISSN 1982-8470 (online), www.agroambiente.ufrr.br. E-mail: agroambiente@ufrr.br. Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 3.0 Brasil.