La maldición ciudadana

Autores

  • Henry Tobia Inojosa Zerpa Universidade Federal de Roraima

DOI:

https://doi.org/10.18227/2317-1448ted.v1i34.6967

Resumo

Resumo O ser humano, em cada época histórica, cria, desenvolve e aperfeiçoa seus próprios modos de se relacionar consigo mesmo, com os outros, com o ambiente e constrói as explicações de que necessita, a partir das reflexões que faz a partir de suas interpretações. Dentre essas explicações, ele usa seus construtos simbólicos para interpretar fenômenos naturais e culturais. Nesse sentido, a possível utopia indo-americana supõe necessariamente a construção de caminhos paralelos aos estabelecidos pelo estado burguês: o predomínio das formas coletivas de propriedade, a superação e ruptura com as organizações verticais, novos estilos de relações intersubjetivas, uma nova política cultura, a revalorização da autoridade e do poder, a reivindicação do sujeito social em nossos contextos, a partir de expressões populares indígenas, africanas e outras profundamente enraizadas, atuais e alternativas.

Publicado

24/06/2020

Como Citar

ZERPA, H. T. I. La maldición ciudadana. Textos e Debates, [S. l.], v. 1, n. 34, 2020. DOI: 10.18227/2317-1448ted.v1i34.6967. Disponível em: https://revista.ufrr.br/textosedebates/article/view/6967. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiês