Nos caminhos da experiência intercultural: um estudo sobre a mobilidade estudantil internacional de partida da UFG.

Luciana de Oliveira Dias, Deyvid Santos Morais

Resumo


O texto a seguir apresenta alguns dados de uma pesquisa que investigou, por meio do enunciado de estudantes de graduação retornados de mobilidade estudantil internacional, em que medida programas de intercâmbio internacional refletem nas bases de significação de uma vivência intercultural. A partir das interações que foram estabelecidas nos países de destino, e a partir também do distanciamento das relações familiares, os estudantes apontam a experiência como uma ampliação da visão de mundo, um percurso em direção ao amadurecimento, um processo de constituição da autonomia e de identidades. A mobilidade gera uma nova forma de migração, uma vez que os estudantes intercambistas se inserem nas comunidades receptoras como estrangeiros. Essa migração apresenta-se como um forte instrumento de cooperação entre países e instituições e também como possibilidade de vivências interculturais.

Palavras-chave


Interculturalidade; Mobilidade estudantil; Migrações e retorno

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2217-1448ted.v1i27.2844



SEER periodicos latindex   webqualis
Editora
Cabeçalho da página  
Revista de Ciências Humanas da Universidade Federal de Roraima
Centro de Ciências Humanas
Boa Vista - Roraima - Brasil