Histórias em Quadrinhos na Educação Básica: um estudo das representações sociais de professores

Lucio Luiz, Monica Rabello de Castro

Resumo


Este estudo investigou as representações sociais de professores de Educação Básica quanto a sua prática docente na utilização das histórias em quadrinhos em sala de aula. Partimos da hipótese de que professores representam a presença dos quadrinhos no ambiente escolar apenas como ferramenta metodológica, desvalorizando o aspecto de ser uma das várias formas de expressão humana, tais como consideramos serem outras manifestações como a literatura, a pintura e a música. Esta desvalorização pode explicar uma subutilização desta expressão artística nos meios educacionais. Para alcançar este objetivo, utilizamos a Teoria das Representações Sociais em articulação com a Teoria da Argumentação. Os resultados mostraram que, a despeito do que dizem as pesquisas acadêmicas sobre quadrinhos e Educação, com exceção de situações e projetos pontuais, constatamos a subutilização do quadrinho em sala de aula. Isso ocorre, em grande parte, por rejeição e desconhecimento do professor. Além disso, os professores representam os quadrinhos em sala de aula apenas como um meio para se alcançar outros objetivos e mesmo as adaptações literárias são meras ferramentas para que o professor leve o aluno ao que ele considera realmente importante, que são as obras que originam essas adaptações. Como nunca houve uma preocupação em entender a representação que os professores têm do uso dos quadrinhos, criou-se uma crença equivocada de que esses projetos são desenvolvidos de forma generalizada nas escolas brasileiras, quando na realidade eles são a exceção e não a regra.

 

Comics in basic education: A study of teachers' social representations

This research investigated teachers’ social representations in Basic Education regarding their teaching practice in the use of comics in the classroom. We started from the hypothesis that teachers represent the presence of comics in the school environment only as a methodological tool, devaluing the aspect of being one of the various forms of human expressions, such as we consider other manifestations such as literature, painting and music. This devaluation may explain an underutilization of this artistic expression in the educational field. To achieve this goal, we use the Social Representation Theory in articulation with Argumentation Theory. The results showed that, despite what academic research on comics and education say, except for situations and specific projects, there is an underutilization of the comic in the classroom. This is largely due to teacher rejection and ignorance. In addition, teachers represent comics in the classroom only as a mean to achieve other goals and even literary adaptations are mere tools for the teacher to take the student to what he considers to be really important, which are the works that originate these adaptations. Since there has never been a concern to understand the representation that teachers have of the use of comics, a misconception has been created that these projects are developed in a generalized way in Brazilian schools, when in reality they are the exception and not the rule.

Keywords: Comics; Teaching work; Social representations; Argumentative analysis; Textual genre.

 

Historias cómicas en la educación básica: Un estudio de las representaciones sociales de los maestros

Este estudio investigó las representaciones sociales de los maestros de Educación Primaria en cuanto a su práctica docente en el uso de las tiras cómicas en el aula. Partimos de la hipótesis de que los maestros representan la presencia del cómic en el entorno escolar sólo como una herramienta metodológica, devaluando el aspecto de ser una de las varias formas de expresión humana, como consideramos otras manifestaciones como la literatura, la pintura y la música. Esta desvalorización puede explicar una subutilización de esta expresión artística en los medios educativos. Para lograr este objetivo, utilizamos la Teoría de las Representaciones Sociales junto con la Teoría de la Argumentación. Los resultados mostraron que, a pesar de lo que dice la investigación académica sobre los cómics y la educación, con la excepción de situaciones y proyectos ocasionales, encontramos una subutilización de los cómics en el aula. Esto ocurre, en gran parte, debido al rechazo y la falta de conocimiento del profesor. Además, los maestros representan los cómics en el aula sólo como un medio para lograr otros objetivos e incluso las adaptaciones literarias son meras herramientas para que el maestro lleve al alumno a lo que considera realmente importante, que son las obras que originan estas adaptaciones. Como nunca ha existido la preocupación de comprender la representación que los profesores tienen del uso de los cómics, se ha creado la creencia errónea de que estos proyectos se desarrollan de forma generalizada en las escuelas brasileñas, cuando en realidad son la excepción y no la regla.

Palabras clave: Cómics; Trabajo de enseñanza; Representaciones sociales; Análisis argumentativo; Género textual.


Palavras-chave


Histórias em quadrinhos; Trabalho docente; Representações sociais; Análise argumentativa; Gênero textual

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações sociais: aspectos teóricos e aplicações à educação. Revista Múltiplas Leituras, v. 1, n. 1, p. 18-43. jan./jun. 2008. DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8993/ml.v1n1p18-43

BANCHS, M. A. Aproximaciones procesuales y estructurales al estudio de las Representaciones Sociales. Papers on Social Representations, v. 9, p. 3.1-3.15, 2000.

CASTRO, C. R. Confrontação Retórica. In: CASTRO, M. R. et al. Análise das interações em educação: retórica, argumentação, comunicação e representações sociais. Nova Iguaçu, RJ: Marsupial, 2016.

CASTRO, M. R. Revisitando o ferramental teórico e metodológico do MEA. In: CASTRO, M. R. et al. Análise das interações em educação: retórica, argumentação, comunicação e representações sociais. Nova Iguaçu, RJ: Marsupial, 2016.

CASTRO, M. R.; FRANT, J. B. Modelo da estratégia argumentativa: análise da fala e de outros registros em contextos interativos de aprendizagem. Curitiba: Editora da UFPR, 2011.

CHINEN, N. Linguagem HQ: conceitos básicos. São Paulo: Criativo, 2011.

CIRNE, M. Quadrinhos, sedução e paixão. Petrópolis: Vozes, 2000.

CORRÊA, S. A.; ECHEVERRIA, A. R.; OLIVEIRA, S. de F. A inserção dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) nas escolas da rede pública do Estado de Goiás - Brasil: a abordagem dos temas transversais - com ênfase no tema Meio Ambiente. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 17, jul./dez. 2006. Disponível em: https://www.seer.furg.br/remea/article/view/3021/1710. Acesso em: 10 abr. 2016. DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v17i0.3021

GROENSTEEN, T. O sistema dos quadrinhos. Nova Iguaçu, RJ: Marsupial, 2015.

JODELET, D. Représentations sociales: un domaine en expansion. In: JODELET, Denise. Les représentations sociales. Paris: PUF, 1989, pp. 31-61. Disponível traduzido em: https://www.researchgate.net/publication/267923440_Les_representations_sociales_un_domaine_en_expansion. Acesso em: 5 jun. 2016.

MATTOS, G. Desmontando os quadrinhos: história em quadrinhos, educação e regionalidade. Cuiabá: Carlini & Caniato: EduFMT, 2009.

MAZZOTTI, T. B. Em direção a uma ciência dos saberes das práticas educativas. In: MAIA, H.; FUMES, N. F.; JUNQUEIRA W. M. A. (Org.). Formação, atividade e subjetividade: aspectos indissociáveis da docência. Nova Iguaçu, RJ: Marsupial, 2013.

MAZZOTTI, T.; ALVES-MAZZOTTI, A. J. Análise retórica nas pesquisas em representações sociais. In: ALVEZ-MAZZOTTI, A. J.; FUMES, N. L. F.; AGUIAR, W. M. J. Estudos sobre a atividade docente: aspectos teóricos e metodológicos em questão. São Paulo/Maceió: EDUC, EDUFAL, 2010.

MCCLOUD, S. Desvendando os quadrinhos. São Paulo: M. Books, 2005.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE). Ministério da Educação, s.d. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12368&Itemid=575. Acesso em: 5 out. 2014.

MOSCOVICI, S. La psychanalyse, son image et son public. Paris: PUF, 1976.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2003.

NOGUEIRA, N. A. S. As histórias em quadrinhos e a escola: práticas que ultrapassam fronteiras. Leopoldina, MG: ASPAS, 2017.

PERELMAN, C. Analogie et métaphore em sicence, poésie et philosophie. In : Le Champ de l’argumentation. Bruxelles : Editions de l'Université de Bruxelles, 1970.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Traité de l’argumentation. Bruxelas: Editions de l’Université de Bruxelles, 1992.

RAMOS. Revolução do gibi: a nova cara dos quadrinhos no Brasil. São Paulo: Devir, 2012.

RAMOS, P.; VERGUEIRO, W.; FIGUEIRA, D. (Org.). Quadrinhos e literatura: diálogos possíveis. São Paulo: Contexto, 2014.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais: língua portuguesa. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental, 1997.

VERGUEIRO, W.; RAMOS, P. Quadrinhos na educação: da rejeição à prática. São Paulo, Contexto, 2009.

YAMAGUTI, V. As adaptações literárias em quadrinhos selecionadas pelo PNBE: soluções e problemas na sala de aula. Olh@res, v. 2, n. 1, p. 441-459, maio 2014. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/olhares/article/view/164. Acesso em: 1 jun. 2016. DOI: https://doi.org/10.34024/olhares.2014.v2.164




DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2675-3294repi.v1i0.6532

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Lucio Luiz, Mônica Rabello de Castro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Editora da Universidade Federal de Roraima

Av. Cap. Ene Garcez, 2.413 Aeroporto, Campus do Paricarana

CEP: 69.310-000. Boa Vista – RR – Brasil

http://ufrr.br/editora/index.php

e-mail: editora@ufrr.br / editoraufrr@gmail.com


Universidade Federal de Roraima - Programa de Pós-Graduação em Educação

http://ufrr.br/ppgeduc/  

ppgeduc@ufrr.br

 

Revista Educação, Pesquisa e Inclusão (REPI), Boa Vista, Roraima, Brasil

E-ISSN: 2675-3294       Prefixo DOI: 10.18227/2675-3294repi

https://revista.ufrr.br/repi

repi@ufrr.br