Caracterização de isolados de Rhizoctonia associados à queima foliar em Roraima.

Dayane Rodrigues Youssef, Giovanni Ribeiro de Souza, Kátia de Lima Nechet, Bernardo de Almeida Halfeld-Vieira

Resumo


O objetivo desse trabalho foi caracterizar isolados do fungo Rhizoctonia associados à queima foliar, obtidos de hospedeiros de importância econômica no estado de Roraima. Os isolados foram obtidos de plantas de feijão-caupi (Vigna unguiculata), soja (Glycine max), seringueira (Hevea brasiliensis), melancia (Citrullus lanatus), alface (Lactuca sativa) e feijão-guandu (Cajanus cajan). Os parâmetros utilizados foram números de núcleos, grupo de anastomose e as características culturais da colônia, taxa de crescimento micelial e a formação de escleródios nos meios de cultura: batata dextrose agar (BDA), BDA+asparagina, BDA+extrato de levedura, Czapek Agar, maltose-peptona-agar, soil extract agar, sacarose-yeast-asparagina e V-8. Todos os 10 isolados
estudados foram caracterizados como multinucleados e pertencentes à espécie Rhizoctonia solani. Três isolados
de feijão-caupi, um de soja e o isolado de melancia foram identificados como AGI-1A e um isolado de feijãocaupi, um de soja e o isolado de feijão-guandu como AGI-1B. O isolado de seringueira não foi identificado como nenhum dos padrões de anastomose utilizado. Para a maioria dos isolados as maiores taxas de crescimento micelial foram obtidas no meio de cultura Soil Extract Agar. Dois tipos de escleródios, característicos do grupo AGI, foram observados: formação de 2-20 tufos.placa-1 coloração variável, 1-2 mm e formação de 38-611 microescleródios placa-1, de coloração marrom, medindo 100 μm. A produção e o tipo de escleródio variaram com o isolado e o meio de cultura utilizado.

Palavras-chave


Rhizoctonia solani; Thanatephorus cucumeris; grupos de anastomose; escleródio

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18227/1982-8470ragro.v6i2.872

Direitos autorais

Revista Agroambiente On-line ISSN 1982-8470 (online), www.agroambiente.ufrr.br. E-mail: agroambiente@ufrr.br. Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 3.0 Brasil.