v. 3, n. 2 (2010)


Capa da revista
Sinto-me feliz por apresentar o Volume 4, Nº 1, ano 2011 da revista eletrônica Examapaku. Essa felicidade é resultado de três fatores. O primeiro deles se relaciona à própria história da revista. Ela ficou dois anos sem atividade e retorna em um momento de grande importância para o Centro de Ciências Humanas da Universidade Federal de Roraima (CCH-UFRR). Recentemente o CCH-UFRR foi contemplado com um Mestrado Interdisciplinar, resultado do empenho dos professores doutores do Centro. Mestrado que pode inspirar outros pesquisadores do CCH a discutir novas propostas de programas de pós-graduação disciplinares. Nesse contexto, situo o segundo fator de felicidade. Ele decorre do caráter propedêutico da revista. Caráter que se apresenta como uma contribuição necessária ao CCH-UFRR. A Examapaku publica trabalhos de estudantes, os quais têm poucas alternativas de submeter artigos para periódicos. Quando permitido aos estudantes a submissão de artigos, eles se preparam para exigências de uma possível carreira acadêmica e criam o hábito da pesquisa. Ou mesmo, o aperfeiçoam. Além do que, com as turmas de Mestrado, tem-se um excelente espaço para discussão e reflexão dos pesquisadores em formação. O último fator se relaciona à dimensão alcançada pela revista. Nesse volume, encontram-se textos de discentes e docentes externos ao CCH-UFRR. Situação que denota a capacidade de diálogo entre comunidades acadêmicas e suas possíveis relações, então promovidas pela Examapaku. Além do que, o repertório de temas é variado e muito interessante. O artigo de Adriana Iop Bellintani, intitulado A disputa franco-germânica por influência no Brasil (1920-1930), versa sobre a ação francesa no Brasil para vigiar a propaganda de regimes totalitaristas, em especial pelos imigrantes alemães, nas primeiras décadas do século XX. Os autores Andreza de Melo Lima, Fransllyn Sellynghton Silva do Nascimento e Rebeca Venancio Coutinho discutem a influência do Bolivarismo e do Monroismo no continente americano no século XIX, tendo por base as reflexões do intelectual Indalecio Liévano Aguirre. O artigo se intitula Bolivarismo y Monrismo: Doutrinas Americanas na Visão de Indalecio Liévano Aguirre. Já Lídia Montanha Castro, no texto Escrita Yanomami: Reflexo das Relações Interculturais trata da interculturalidade como conceito amplamente utilizado na educação escolar indígena. Manoel Aires da Silva Neto, autor do artigo A Presença de Migrantes Nordestinos no Vale do Rio Branco, discute a presença de migrantes nordestinos no Vale do Rio Branco, estado de Roraima, entre o final do século XIX e as três primeiras décadas do século XX. Já Vilmar Antônio da Silva toca tema mais contemporâneo. Ele analisa as implicações econômicas da demarcação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol no artigo A Questão da Demarcação das Terras Indígenas Raposa Serra do Sol e o Desenvolvimento Socioeconômico de Roraima. Nesse universo temático e temporal, bem variado em estilos, se reconhece a grande área de Ciências Humanas. Área que provoca debates acerca do humano e seus diversos contextos, a partir da Antropologia, Ciência Política, Filosofia, História, Relações Internacionais e Sociologia. A Examapaku, em especial no volume em pauta, participa dessa provocação criativa e prazerosa com os textos publicados.
Boa leitura!