PRODUÇÃO MAIS LIMPA, LOGÍSTICA REVERSA E CONSÓRCIOS PÚBLICOS INTERMUNICIPAIS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM RORAIMA

Francisleile Lima Nascimento, Elói Martins Senhoras

Resumo


Os resíduos sólidos são materiais descartados oriundos das atividades humanas no meio social, cuja, o destino final se procede, nos estados líquidos, sólidos ou semissólidos, e gasosos, o que torna inviável o seu lançamento nos esgotos ou em corpos d'água, por gerar diversos problemas de caráter socioambiental, exigindo assim de toda sociedade medidas técnicas e econômicas no seu gerenciamento. Nessa perspectiva, surge a Produção Limpa ou Produção mais Limpa (P+L) compreendida como uma ferramenta da gestão ambiental com características econômicas e tecnológicas que preveem o aceleramento da produção visando à redução de custos e a minimização dos resíduos. Nesse sentido, o presente artigo tem por objetivo refletir sobre o gerenciamento dos resíduos sólidos, bem como a necessidade da utilização racional desse recurso no setor industrial de Roraima. A metodologia parte de uma revisão de literatura de caráter descritivo, fazendo uso do método exploratório e analítico. A análise dos resultados é norteada pela da análise de conteúdo. Logo, os resultados evidenciam que por meio da produção limpa, logística reversa e aplicação dos consórcios é possível gerenciar os resíduos sólidos de forma que o mesmo sirva de insumo para o setor industrial. Conclui-se que os consórcios de gerenciamento dos resíduos sólidos por parte do setor industrial promovem estratégias de encadeamento a montante e encadeamento a jusante através de uma política dupla ganhadora, gerando novos produtos e processos, beneficiando a economia e o meio ambiente.


Palavras-chave


desenvolvimento; logística reversa; produção limpa; Roraima; sustentabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, G.; CARVALHO, H. F.; SILVA, J. F. “A teoria dos jogos na estratégia de negócios: uma contribuição relevante”. Texto para Discussão da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, vol. 1, n. 1, p. 1-29, 2011.

BARBIERI, J. C. Gestão Ambiental Empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, 2007.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Planalto, 1988. Disponível em: . Acesso em: 21/01/2020.

BRASIL. Lei Federal de 02 de agosto, 2010. Brasília: Planalto, 2010. Disponível em: . Acesso em: 21/01/2020.

BRASIL. Lei n. 9.605, de 12 de fevereiro, 1998. Brasília: Planalto, 1988. Disponível em: . Acesso em: 21/01/2020.

BRASIL. Resolução CONAMA, n. 404, de 11 de novembro, 2008. Brasília: MMA, 2008. Disponível em . Acesso em: 21/01/2020.

FARIAS, A. D.; MEDEIROS, H. R. D.; FREITAS, L. S. “Contribuições da P + L para a gestão de resíduos sólidos das atividades produtivas da construção civil”. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, vol. 4, n. 1, p. 2015.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

RIKILS, V. S. S.; SENHORAS, E. M.; BARELLA, L. A.; SANTANA, E. R. R. de. “Resíduos sólidos na Amazônia: um estudo de caso na Região Metropolitana do Sul do Estado de Roraima”. Revista Espacios, vol. 37, n. 19, 2016.

WERNER, E. M. et al. “Produção mais limpa: conceitos e definições metodológicas”. Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia - SEGeT 2009. Resende: AEDB, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5281/zenodo.3751813

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Boletim de Conjuntura (BOCA)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boletim de Conjuntura (BOCA)      ISSN: 2675-1488

Caixa postal 253. Praça do Centro Cívico. Boa Vista, RR, Brasil. CEP 69301-970.