A COMPLEXIDADE DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO COMPROMISSO E RESPONSABILIDADE SOCIAL NA PÓS-MODERNIDADE

Talita Fraguas, Ronualdo Marques

Resumo


Discute-se neste ensaio a complexidade da Educação Ambiental no compromisso e responsabilidade social dos indivíduos com objetivo de minimizar os impactos ocasionados pela ação antrópica no ambiente. Nesse sentido a Educação ambiental inserida na educação formal, informal e não formal orientada pelo método da complexidade busca compreender as relações entre sociedade, homem e natureza e permitir que se possa repensar a realidade de modo complexo, definindo-a como uma nova racionalidade e um espaço capaz de articular ciência, natureza, cultura a partir de atitudes individuais e coletivas na pós-modernidade.


Palavras-chave


complexidade; educação ambiental; pós-modernidade; responsabilidade social.

Texto completo:

PDF

Referências


COUSIN, C. S. Pertencer ao navegar, agir e narrar: a formação de educadores ambientais (Tese de Doutorado em Educação Ambiental). Rio Grande: FURG, 2010.

GOHN, M. G. Educação não formal e o educador social - atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Editora Cortez, 2010.

GOHN, M. G. Educação Não Formal no Campo das Artes. São Paulo: Editora Cortez, 2015.

HEIDEGGER, M. Ser e tempo. 10ª edição. Petrópolis: Editora Vozes, 2015.

LIBÂNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos, para quê? São Paulo: Editora Cortez, 2010.

MARQUES, R.; XAVIER, C. R. “O desenvolvimento do senso analítico no processo de ensino e aprendizagem na Educação Ambiental”. RELACult - Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade, vol. 5, n. 2, 2019.

MARQUES, R.; XAVIER, C. R. “Análise do Senso Crítico em uma Sequência Didática na Educação Ambiental”. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, vol. 35, n. 1, 2018.

MARQUES, R.; GONZALEZ, C. E. F.; XAVIER, C. R. “As dificuldades da inserção e da prática em educação ambiental no currículo escolar”. Anais do XVI Encontro Paranaense de Educação Ambiental. Curitiba: UFPR, 2017.

MORIN, E. Ciência e consciência. Rio de Janeiro: Editora Bertrand, 2005.

MOTA, J. C. Proposta Metodológica para a Ambientalização Curricular: integrando a Educação Ambiental nos currículos da Educação Superior (Tese de Doutorado em Educação Ambiental). Rio Grande: FURG, 2020.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. 4ª edição. São Paulo: Editora Cortez, 2006.

SATO, M. “Debatendo os desafios da Educação Ambiental”. Ambiente & Educação, vol. 5, n. 1, 2002.

SAUVÉ, L. “Educação Ambiental: possibilidades e limitações”. Educação e Pesquisa, vol. 31, n. 2, 2005.

TOZONI-REIS, M. F. C. Educação ambiental: natureza, razão e história. Campinas: Autores Associados, 2004.

UNESCO. Tendances de l'éducation relative a 1'environnement après Tbilisi. Paris: UNESCO, 1977.




DOI: http://dx.doi.org/10.5281/zenodo.3960454

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Boletim de Conjuntura (BOCA)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Boletim de Conjuntura (BOCA)      ISSN: 2675-1488

Caixa postal 253. Praça do Centro Cívico. Boa Vista, RR, Brasil. CEP 69301-970.