Erosividade sob duas durações de intensidades máximas da chuva em Pelotas - RS

Rita de Cássia Fraga Damé, Claudia Fernanda Almeida Teixeira, Ticiani Gonçalves, Jacira Porto dos Santos, Maurizio Silveira Quadro

Resumo


Na Equação Universal de Perdas de Solo (EUPS) a erosividade é o fator relacionado à chuva e expressa o seu potencial em provocar a erosão do solo, sendo necessário que se conheça a energia cinética da mesma e as máximas intensidades da chuva
na duração de 30 min. Objetivou-se com este trabalho verificar e quantificar o impacto da duração da chuva, considerando 15 e 30 min, sobre o fator erosividade da EUPS. Para tanto foram utilizados 863 registros pluviográficos de chuva, no período de 1983 a 1998 da localidade de Pelotas, RS, obtidos na Estação Agroclimatológica – Convênio EMBRAPA/UFPel, INMET (31o51´S; 52o21´O e altitude de 13,2 m). Com os registros foram estimados os valores de erosividade a partir de intensidades máximas de chuva nas durações consideradas. Os valores médios anuais de erosividade foram 2551,3 MJ ha-1 h-1 ano-1 e 1.406,1 MJ ha-1 h-1 ano-1, para as intensidades médias de 6,40 mm h-1 e 3,74 mm h-1, nas durações de 15 e 30 min, respectivamente. Os resultados do presente trabalho permitem concluir que o percentual das chuvas erosivas em relação ao total precipitado foi de 91,0% e que a erosividade foi influenciada pela duração da intensidade máxima da chuva.

Palavras-chave


Chuvas intensas. Erosão. Registros pluviográficos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18227/1982-8470ragro.v6i1.721

Direitos autorais

Revista Agroambiente On-line ISSN 1982-8470 (online), www.agroambiente.ufrr.br. E-mail: agroambiente@ufrr.br. Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 3.0 Brasil.