Análise de eficiência da produção de alface no noroeste de São Paulo

Jaqueline Bonfim de Carvalho, Omar Jorge Sabbag

Resumo


A alface é considerada a folhosa mais importante, cultivada e consumida mundialmente. O seu cultivo gera renda para pequenos e médios produtores, além de movimentar grande volume de recursos em sementes, adubos, defensivos e mão de obra. Entretanto, como qualquer outra exploração econômica, as medições de desempenho podem oferecer indicadores e referências para melhoria desta atividade. Objetivou-se com este trabalho avaliar o grau de eficiência de unidades produtoras de alface em Ilha Solteira, região Noroeste de São Paulo. Metodologicamente, questionários foram aplicados a uma amostragem de produtores do município, os quais foram classificados em eficientes e ineficientes, quanto aos perfis socioculturais e tecnológicos. Para a compilação das medidas de eficiência, foi aplicada a técnica de Análise Envoltória de Dados (DEA – Data Envelopment Analysis) para retornos constantes de escala, com orientação input, tomando como variáveis, mão de obra, irrigação, adubação e investimento. Os resultados mostraram que 20% das propriedades foram eficientes e que a unidade produtiva com menor desempenho deve minimizar o uso de insumos em 71% para se tornar eficiente, salientando o uso racional dos recursos na produção. Recomenda-se maior atenção aos produtores ineficientes, sobretudo em relação aos desperdícios do processo produtivo, na qual a técnica avalia e auxilia no processo de tomada de decisão no processo de transformação insumo-produto.

Palavras-chave


Análise DEA. Desempenho. Gestão. Lactuca sativa L.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18227/1982-8470ragro.v9i2.2256

Direitos autorais

Revista Agroambiente On-line ISSN 1982-8470 (online), www.agroambiente.ufrr.br. E-mail: agroambiente@ufrr.br. Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 3.0 Brasil.