CITIZEN ENGAGEMENT IN THE GOVERNMENTAL PLANNING: THE STATE OF MINAS GERAIS CASE

Tamiris Cristhina Resende, Marcus Vinícius Gonçalves da Cruz, Marco Aurélio Marques Ferreira

Resumo


This paper analyzes the advances and limitations of citizen engagement in government planning implemented in the State of Minas Gerais by the Regional Government Forums (FRGs) between 2015 and 2017. Specifically, we examine the institutional arrangements through a political capacity according to Gomide and Pires (2014). The case study was adopted as a research methodology. In the data collection, we used documentary survey, observation in forums events and semi-structured interviews. As far as political capacity is concerned, we can see the predominance of public servants, followed by representatives of social movements, with low participation of business organizations in the analyzed territory. It is concluded that the FRGs break with the previous technocratic logic, based on the parameters of the new public management.

Palavras-chave


governmental planning; social participation; institutional arrangements; State capacity; political capacity

Referências


Almeida, M., Lima-de-Oliveira, R., & Schneider, B. (2014). Política industrial e empresas estatais no Brasil: BNDES e Petrobras (Texto para Discussão No. 2013). Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Amaral, L. (2014). Participação social e conteúdo estratégico nos PPAs estaduais. Brasília: Ipea.

Avritzer, L. (2008). Instituições participativas e desenho institucional: algumas considerações sobre a variação da participação no Brasil democrático. Opinião Pública, 14(1), 43-64.

Boschi, R. Gaitán, F. (2012). Brasil e os Atores Emergentes em Perspectiva Comparada: Capacidades Estatais e a Dimensão Político Institucional. Texto de discussão do Workshop Capacidades Estatais para o Desenvolvimento: Vantagens Institucionais Comparativas em Países Emergentes. Brasília: Instituto de Pesquisa e Economia Aplicada.

Boschi, R. (2013) Capacidades Estatais para o Desenvolvimento em Perspectiva Comparada. Brasília: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento.

Cardoso Jr., J., & Gimenez, D. (2011). Crescimento econômico e planejamento no Brasil (2003-2010): evidências e possibilidades do ciclo recente. Revista Brasileira de Planejamento e Orçamento, 1(2), 5-20.

Carneiro, R. (2004). O planejamento na esfera pública: fundamentos teóricos, possibilidades e limites operacionais. In C. Carneiro, & B. Costa. (Org.). Gestão Social: o que há de novo? (pp. 47-68). Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro.

Cassiolato, M., & Garcia, R. (2014). PRONATEC: múltiplos arranjos e ações para ampliar o acesso à educação profissional. (pp. 295-321). In A. Gomide, & R. Pires (Eds.). Capacidades estatais e democracia: arranjos institucionais de políticas públicas. Brasília: Ipea.

Coutinho, D. R. (2014). Entre eficiência e legitimidade: O Bolsa Família no desafio de consolidação do SUAS. In A. Gomide, & R. Pires (Eds.). Capacidades estatais e democracia: arranjos institucionais de políticas públicas. (pp. 267-293). Brasília: Ipea.

Creswell, J. (2014). Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. Porto Alegre, Penso.

Friedmann, J. (1987). Planning in the public domain: from knowledge to action. Princeton: Princeton University Press.

Giacomoni, J., & Pagnussat, J. (Org.). (2006). Planejamento e orçamento: coletânea. Brasília: ENAP.

Gomide, A., & Pires, R. (2014). Capacidades estatais e democracia: a abordagem dos arranjos institucionais para análise de políticas públicas. In A. Gomide, & R. Pires (Eds.). Capacidades estatais e democracia: arranjos institucionais de políticas públicas. (pp. 15-29). Brasília: Ipea.

Julnes, P., & Holzer, M. (2001). Promoting the utilization of performance measures in public organizations: an empirical study of factors affecting adoption and implementation. Public Administration Review, 61(6), 693-708.

Loureiro, M., Macario, V., & Guerra, P. (2013). Democracia, arenas decisórias e políticas públicas: o Programa Minha Casa Minha Vida (Texto para Discussão No. 1886). Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Loureiro, M., Teixeira, M., & Ferreira, A. (2013). Democracia e desenvolvimento no Brasil contemporâneo: conflitos e articulação de interesses no Projeto São Francisco (Texto para Discussão No. 1883). Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Muinhos, M. K. (1991). O alcance do Planejamento Estadual no Brasil: os planos mineiros de desenvolvimento da década de 70. (Dissertação de mestrado). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), São Paulo.

Monteiro Neto, A. M (2013). Governos estaduais no federalismo brasileiro: capacidades e limitações no cenário atual. Textos para Discussão, n. 1894. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Pedroti, P. (2013). Os desafios do desenvolvimento e da inclusão social: o caso do arranjo político institucional do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB) (Texto para Discussão No. 1858). Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Pereira, A. K. (2013). Desenvolvimentismo, conflito e conciliação de interesses na política de construção de hidrelétricas na Amazônia brasileira (Texto para Discussão No. 1884). Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Pereira, C. B. S. (2015). Participação Social, instituições participativas e desenhos institucionais: uma análise dos Fóruns Regionais de Governo de Minas Gerais. (Monografia). Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho da Fundação João Pinheiro (EG-FJP), Belo Horizonte.

Pires, R., Garcia, R., Cassiolato, M., & Carneiro, R. (Orgs.). (2015). PPA 2012-2015: experimentalismo institucional e resistência democrática. Brasília: Ipea, 2015.

Pires, R., Gomide, A., & Amaral, L. (2013) A ver navios? A revitalização da indústria naval no Brasil democrático (Texto para Discussão No. 1864). Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Santos, A. (2016). A participação como princípio e ferramenta de governo: uma análise dos Fóruns Regionais de Governo (Monografia) Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho da Fundação João Pinheiro (EG-FJP), Belo Horizonte.

UFV- Universidade Federal De Viçosa. Centro de Ciências Agrárias. Departamento de Economia Rural. (1977). Programa de Desenvolvimento Integrado da Zona da Mata, MG - PRODEMATA (segundo relatório anual de avaliação). UFV: Viçosa, MG.

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e método. Porto Alegre: Bookman




DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v10i0.5936

Revista de Administração de Roraima -RARR
Roraima Management Review -RMR
e-ISSN: 2237-8057 | DOI: 10.18227/2237-8057rarr
Centro de Ciências Administrativas e Econômicas
Departamento de Administração
Universidade Federal de Roraima
Boa Vista - Roraima - Brasil

Telefone:+55 (95)3621-3149
Email:rarr.ufrr@gmail.com
Endereço:Av. Cap. Ene Garcez, 2413, bloco II, sala 243
Bairro Aeroporto, Campus Paricarana - UFRR
Cep:69310-000
Revista sob
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
Bookmark and Share