CRIAÇÃO DE VALOR ECONÔMICO EM ENTIDADE DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE CÂNCER

Alexandre Franco de Godoi, José Odálio dos Santos, André Nardy, Isabel Marques Rizo, Fabiana Ferreira Pascoaloto

Resumo


O objetivo do artigo é analisar a criação de valor econômico numa entidade privada sem fins lucrativos dedicada ao diagnóstico e tratamento de câncer. Verifica ainda a capacidade de previsão de indicadores econômicos e financeiros como Receita Líquida, Margem Superávit, Liquidez Corrente, Liquidez Geral, Retorno sobre o Capital Operacional Investido (RCOI), Superávit Operacional Ajustado (SOAt+1) e Custo Médio Ponderado de Capital (CMPC) para a criação de valor econômico. Um estudo de caso foi desenvolvido no A.C.Camargo Cancer Center analisando-se os Relatórios de Sustentabilidade e as Demonstrações Financeiras divulgadas no período de 2012 a 2018. Utilizando-se da pesquisa quantitativo-qualitativa, foram destacados os elementos que influenciam no cálculo do EVA®, detalhando-se as etapas a serem observadas. Os resultados indicaram uma capacidade contínua de geração de EVA® positivo pela empresa, evidenciando sua eficiência na gestão dos recursos captados. Testes de regressão linear simples foram aplicados para verificar a capacidade de previsão de indicadores econômicos e financeiros na geração de EVA®. Apenas a Margem Superávit e o Superávit Operacional Ajustado apresentaram relação estatística ao nível de significância de 5%, o que revela indícios de uma contribuição eficiente da gestão operacional e de custos na criação de valor na empresa. O artigo contribui para o entendimento do cálculo do EVA® em uma entidade privada sem fins lucrativos, detalhando as etapas de coleta de informações das Demonstrações Financeiras e dados do mercado financeiro utilizados para representar a taxa livre de risco da economia, o risco país e o spread para o risco de inadimplência (default).

Palavras-chave


EVA®; Oncologia Genética; Rentabilidade; Superávit Operacional; Entidades Privadas sem Fins Lucrativos.

Texto completo:

PDF

Referências


A.C.CAMARGO CANCER CENTER. (2019). Relatório de Sustentabilidade. Recuperado de https://www.accamargo.org.br/cancer-center/relatorio-de-sustentabilidade. Brasil: Autor.

ASSAF NETO, A. (2014). Finanças Corporativas e Valor. 7ª ed. São Paulo: Atlas.

BARIL, C. P.; MARSHALL, S. B.; SARTELLE, R.F. (1997). Economic Value Added and Small Business. Journal of Small Business Strategy, 8(2).

BRIGHAM, E. F.; EHRHARDT, M. C. (2016). Administração Financeira: Teoria e Prática. Tradução da 14ª ed. norte-americana. 3ª ed. São Paulo: Cengage Learning.

BRUNI, A. L. (2013). Estatística Aplicada à Gestão Empresarial. 4ª ed. São Paulo: Atlas.

CENTRE FOR SCIENCE AND TECHNOLOGY STUDIES – CWTS. (2014). CWTS Leiden Ranking 2014. Leiden University. Holanda: Autor.

COPELAND, T.; KOLLER, T.; MURRIN, J. (2002). Avaliação de Empresas – Valuation: calculando e gerenciando o valor das empresas. 3ª ed. São Paulo: Pearson Makron Books.

DAMODARAN, A. (2019). Country Default Spreads and Risk Premiums. New York University - Stern School of Business.

DAMODARAN, A. (2016). Country Risk: Determinants, Measures and Implications. New York University - Stern School of Business.

DAMODARAN, A. (2010). Avaliação de Investimentos: Ferramentas e técnicas para a determinação do valor de qualquer ativo. 2 ed. Rio de Janeiro: Qualitymark.

DAMODARAN, A. (2007). Finanças Corporativas: Teoria e Prática. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman.

DUTRA JR., D. J. (2001). A utilização do valor econômico adicionado como ferramenta de gestão financeira. (Dissertação de Mestrado). Fundação Getúlio Vargas – Escola Brasileira de Administração Pública, São Paulo, SP, Brasil.

FAMA, E. F.; FRENCH, K. R. (2004). The Capital Asset Pricing Model: Theory and Evidence. CRSP Working Paper No. 550. Social Science Research Network.

FERNANDEZ, P. (2015). EVA and Cash Value Added Do NOT Measure Shareholder Value Creation. Social Science Research Network.

FIELD, A. (2009). Descobrindo a Estatística usando o SPSS. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed.

GEYSER, M.; LIEBENBERG, IE. (2003). Creating a New Valuation Tool for South African Agricultural Co-Operatives. Agrekon, 42(2).

GIL, A.C. (2010). Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5ª ed. São Paulo: Atlas.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. (2013). Projeção da População do Brasil por sexo e idade: 2000-2060. Projeções de População/Revisões. Brasil: Autor.

INTERNATIONAL AGENCY FOR RESEARCH ON CANCER. (2019). World Health Organization: Global Cancer Observatory (GCO). Cancer Tomorrow. Lyon, França: Autor.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. (1998). Divisional Performance Measurement. Foundations of Organizational Strategy (Chapter 12). Harvard University Press.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. (2010). Fundamentos de Metodologia Científica. 7ª ed. São Paulo: Atlas.

MARTINS, G. A.; DOMINGUES, O. (2019). Estatística Geral e Aplicada. 6ª ed. São Paulo: Atlas.

PANIGRAHI, S.; ZAINUDDIN, Y. B.; AZIZAN, N. A. B. (2014). Linkage of Management Decisions to Shareholder’s Value: EVA Concept. International Journal of Finance & Banking Studies, 3(1).

SAMANEZ, C. P. (2006). Gestão de Investimentos e Geração de Valor. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

SANTOS, J. O. (2019). Valuation: um guia prático: Metodologias e técnicas para análise de investimentos e determinação do valor financeiro de empresas. 2ª ed. São Paulo: Saraiva.

STEWART, M. L. (1990). The Quest for Value. New York: Harper.




DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v10i0.5828

Revista de Administração de Roraima -RARR
Roraima Management Review -RMR
e-ISSN: 2237-8057 | DOI: 10.18227/2237-8057rarr
Centro de Ciências Administrativas e Econômicas
Departamento de Administração
Universidade Federal de Roraima
Boa Vista - Roraima - Brasil

Telefone:+55 (95)3621-3149
Email:rarr.ufrr@gmail.com
Endereço:Av. Cap. Ene Garcez, 2413, bloco II, sala 243
Bairro Aeroporto, Campus Paricarana - UFRR
Cep:69310-000
Revista sob
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
Bookmark and Share