Avaliação do Nível de Maturidade de Tecnologia (TRL) nas Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) com o modelo adaptado da AFRL – Air Force Research Laboratory

Ricardo Luiz Bergamini

Resumo


A presente pesquisa tem como objetivo desenvolver uma ferramenta a qual define através de questionários em que nível de maturidade tecnológica se encontra o produto em desenvolvimento, chamada “Calculadora TRL”. Para tanto, inicialmente foi realizado um levantamento sobre os modelos de avaliação dos níveis de maturidade tecnológica atualmente disponíveis nas Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs), posteriormente, discutiu-se a importância de ferramentas capazes de analisar se um produto em desenvolvimento está pronto para ser lançado no mercado, sem que haja prejuízos a nenhuma das partes envolvidas. Nesta direção, essa pesquisa qualitativa, buscou desenvolver uma planilha eletrônica para calcular o nível de prontidão desses produtos. A planilha foi testada e seu potencial avaliado pelos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) de 5 instituições, no sentido de adaptá-la às suas respectivas demandas por avaliação dos níveis de maturidade. Após exaustiva avalição por estas instituições, chegaram ao veredicto da viabilidade e aplicabilidade da ferramenta junto aos respectivos NITs. Diante dos resultados, e com base nos nove níveis de avaliação da maturidade tecnológica, Technology Readiness Levels (TRL), utilizados para avaliar a prontidão tecnológica dos produtos pesquisados, verificou-se a possibilidade da melhoria dos processos de avaliação do nível de maturidade dos produtos e tecnologias em desenvolvimento nas Instituições de Ensino Superior e Instituições de Ciência e Tecnologia, consequentemente, auxiliando-as na tarefa de modernização de suas respectivas práticas relacionadas à inovação.

Palavras-chave


TRL; Maturidade tecnológica; Nível de prontidão tecnológica

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 16290:2015. Rio de Janeiro, 2015.

AZIZIAN, Nazanin et al. A Comprehensive Review and Analysis of Maturity Assessment Approaches for Improved Decision Support to Achieve Efficient Defense Acquisition. Disponível em: < http://www.iaeng.org/publication/WCECS2009/WCECS2009_pp1150-1157.pdf >. Acessado em: 06 ago. 2018.

BAKKE, Kjersti. Technology readiness levels use and understanding. Disponível em: < https://openarchive.usn.no/usn-xmlui/bitstream/handle/11250/2452831/Master2017Bakke.pdf?sequence=1&isAllowed=y >. Acesso em: 26 jun. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.243, de 11 de janeiro de 2016. Dispõe sobre estímulos ao desenvolvimento científico, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e à inovação e altera a Lei nº 10.973, de 2 de dezembro de 2004, a Lei nº 6.815, de 19 de agosto de 1980, a Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, a Lei nº 12.462, de 4 de agosto de 2011, a Lei nº 8.745, de 9 de dezembro de 1993, a Lei nº 8.958, de 20 de dezembro de 1994, a Lei nº 8.010, de 29 de março de 1990, a Lei nº 8.032, de 12 de abril de 1990, e a Lei nº 12.772, de 28 de dezembro de 2012, nos termos da Emenda Constitucional nº 85, de 26 de fevereiro de 2015. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13243.htm>. Acesso em: 05 dez. 2018.

BOUTILLIER, S.; COPPIN, O.; LAPERCHE, B.; UZIDINIS, D.; ZIEL, J. Innovation, accumulation et valeur. Document de Tavail. Laboratoire Redéploiement Industriel et Innovation, Université du Littoral-Cotê D'Opale, France, 1999.

CHAGAS JR, Milton de Freitas. Et al. "Coupled processes" as dynamic capabilities in systems integration. Disponível em: . Acesso em: 05 jun. 2018.

COSTA, André R. R. Et al. Análise dos Entraves e Facilitadores no Processo de Obtenção de Recursos para P&D na Amazônia Ocidental. Disponível em: . Acessado em: 19 jun. 2018.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL (EMBRAPII). Manual de operação das unidades EMBRAPII. Brasília - DF, 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2018.

ESA, European Space Agency. Technology Readiness Levels Handbook for Space Applications. Disponível em: < https://artes.esa.int/sites/default/files/TRL_>

FERREIRA, Maria Carolina Zanini; TEIXEIRA, Clarissa Stefani. Núcleo de inovação tecnológica: Alinhamento conceitual. Florianópolis/SC: Perse, 17p. il. 2016. Disponível em: < http://via.ufsc.br/wp-content/uploads/2017/06/e-book-NITs.pdf>

FERREIRA, Eduardo Marson. Inovação, Vale da Morte e o Elo Perdido. Disponível em: < https://ezute.org.br/wp-content/uploads/2018/07/Eduardo_Marson_TD_Junho_2018.pdf >. Acesso em: 08 jan. 2019.

GIL, Luís. Et al. Os TRL (Technology Readiness Levels) como ferramenta na avaliação tecnológica. Revista Igenium, n. 139 II Série. p. 94, 2014.

GRÜTZMANN, André; ZAMBALDE, André Luiz; BERMEJO, Paulo Henrique de Souza. Inovação, desenvolvimento de novos produtos e as Tecnologias Internet: estudo em empresas brasileiras. In: Gestão & Produção, São Carlos, Vol. 26, n. 1, e1451, 2019.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL – INPI. Resolução nº 191/08. Exame prioritário de pedidos de patente, de 10 out. 2008.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS – INPE. Conselho Técnico-Científico (CTC). Resolução RE/DIR-582/2016 Norma de Relacionamento do INPE com Fundações de Apoio, de 17 out. 2016.

MAGNO, A. Et. al. Compreendendo como os modelos de maturidade facilitam no desenvolvimento de projetos. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2018.

MANKINS, John C. Technology Readdiness Levels – A White paper, Advanced Concepts Office. Disponível em:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO – MEC. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior Cadastro e-MEC. Disponível em: < http://emec.mec.gov.br/>. Acesso em: 10 jun. 2019.

MORESI, Eduardo A. D., Et al. Análise de níveis de prontidão: uma proposta para empresas nascentes. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2018.

MORGADO, Eduardo Martins. Inovação, novos conceitos ampliados: oportunidades para as empresas. In: Revista de Ciências Gerenciais, Vol. 15, Nº 21, Ano 2011.

NASA, National Aeronautics and Space Administration. Technology Readiness Level. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2018.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo/RS: Universidade FEEVALE, 2013. 277 p.

TECHNOLOGY READINESS LEVELS (TRL). Disponível em: < https://mkainsights.com/insights/trl/ >. Acesso em: 03 fev. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v10i0.5738

Revista de Administração de Roraima -RARR
Roraima Management Review -RMR
e-ISSN: 2237-8057 | DOI: 10.18227/2237-8057rarr
Centro de Ciências Administrativas e Econômicas
Departamento de Administração
Universidade Federal de Roraima
Boa Vista - Roraima - Brasil

Telefone:+55 (95)3621-3149
Email:rarr.ufrr@gmail.com
Endereço:Av. Cap. Ene Garcez, 2413, bloco II, sala 243
Bairro Aeroporto, Campus Paricarana - UFRR
Cep:69310-000
Revista sob
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
Bookmark and Share