SISTEMAS DE MENSURAÇÃO DE DESEMPENHO: UM ESTUDO EMPÍRICO SOBRE A PERCEPÇÃO DE GESTORES PÚBLICOS

Otávio Henrique Cintra Monteiro, Antônio André Cunha Callado

Resumo


Sistemas de mensuração de desempenho vêm evoluindo com o tempo, ao passo que eles se tornam multidimensionais e com intenção de projetar o futuro. Além disso, em uma lógica de sistema aberto, o entendimento sobre as partes interessadas (stakeholders) se torna relevante. Nesse sentido, o aumento das exigências sobre a melhora de resultados nas entregas de bens e serviços remete a uma melhora na gestão por meio da mensuração de desempenho no setor público. Logo, este artigo objetiva analisar a percepção dos gestores públicos que atuam na implantação de planejamento estratégico e mensuração de desempenho sobre sistemas de mensuração de desempenho. Assim, a pesquisa pode ser classificada como descritiva, em uma abordagem quantitativa, tendo como procedimento técnico o survey. Dessa forma, por meio de questionário foram obtidos dados de caracterização de respondentes e de percepção (em escala Likert) dos profissionais que atuam na Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão da Prefeitura de Petrolina e na Secretaria de Planejamento e Gestão do Governo do Estado de Pernambuco. Esses dados foram analisados utilizando o modelo estatístico de Kruskal-Wallis pelo software estatístico STATISTICA. Como resultado, verificou-se que o Balanced Scorecard se destacou como o sistema mais conhecido. Já, embora no que tange às dimensões de sistemas de mensuração de desempenho, o foco nas partes interessadas seja tido como importante, o modelo de Prisma de Desempenho demonstrou ter sido o menos conhecido pelos respondentes, mesmo o modelo sendo aplicável a entes sem fins lucrativos e ter foco nos stakeholders.

Palavras-chave


Desempenho. Mensuração. Dimensões. Sistema. Percepção

Referências


Ahmad, S. et al. (2016) A review of performance measurement for successful concurrent construction. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 226, 447 – 454.

Amaratunga, D. & Baldry, D. (2002) Moving from performance measurement to performance management. Facilities, Vol. 20 Issue: 5/6, pp.217-223.

Angerhofer, B. & Angelides, M. (2006) A model and a performance measurement system for collaborative supply chains. Decision Support Systems, 42, 283– 301.

Behn, R. (2003) Why Measure Performance? Different Purposes Require Different Measures. Public Administratian Review, September/October, Vol, 63, No, 5.

Bititci, U. S.; Carrie, A. S.; Mcdevitt, L. (1997) Integrated performance measurement systems: a development guide. International journal of operations & production management, v. 17, n. 5, p. 522-534.

Bortoluzzi, S. C. et al. (2010) Práticas de avaliação de desempenho organizacional em pequenas e médias empresas: investigação em uma empresa de porte médio do ramo moveleiro. Revista Produção Online, v. 10, n. 3, p. 551-576.

Bourne, M. et al. (2000). Designing, implementing and updating performance measurement systems. International Journal of Operations & Production Management, Vol. 20 Issue: 7, 754-771.

Brewer, P. & Speh, T. (2000) Using the balanced scorecard to measure suplly chain performance. Journal of Business Logistics. 21, 1; ABI/INFORM Global, 75.

Callado, A. & Oliveira, R. (2016) Análise da intensidade de adoção de indicadores de desempenho: uma abordagem contextual a partir de uma perspectiva institucional. Rev. Cont Org, 26, 20-32.

Chemin, B. (2015) Manual da UNIVATES para trabalhos acadêmicos: Planejamento, elaboração e apresentação. 3ª ed. Lajeado.

Costa, F. & Castanhar, J. (2003) Avaliação de programas públicos: desafios conceituais e metodológicos. RAP Rio de Janeiro, 37(5):969-92.

Cunha, J. & Corrêa, H. (2013) Avaliação de desempenho organizacional: um estudo aplicado em hospitais filantrópicos. RAE. São Paulo, V. 53, n. 5, 485-499.

Dooren, W. (2008) Performance indicators: a wolf in sheep’s clothing? Changing Educational Accountability in Europe, Internacional Conference. 24-25.

Dunn, O. (1964) Multiple comparisons using rank sums. Technometrics, v. 6, n. 3, 241-252.

Folan, P. & Browne, J. (2005) A review of performance measurement: Towards performance management. Computers in Industry, 56, 663–680.

Frederico, G. & Cavenaghi, V. (2009) The Measurement of Organizational Performance with a Focus on Stakeholders: A Performance Prism Approach. POMS 20th Annual Conference Orlando, Florida U.S.A.May 1 to 4, 2-1.

Garengo, P.; Biazzo, S.; Bititci, U. (2005) Performance measurement systems in SMEs: A review for a research agenda. International Journal of Management Reviews, v. 7, n. 1, 25-47.

Gerhardt, T. & Silveira, D. (2009) Métodos de Pesquisa. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1ª ed, Rio Grande do Sul.

Gil, C. ( 1989) Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. Atlas, 2ª ed, São Paulo.

Klann, R.; Beuren, I. (2014) Relação do empowerment psicológico com o sistema de mensuração de desempenho e desempenho gerencial. Revista Ambiente Contábil – UFRN – Natal-RN. v. 6. n. 2, 116 – 133.

Lardenoije, E. JH; Van Raaij, E. M.; Van Weele, A. J. (2005) Performance management models and purchasing: relevance still lost. In: Researches in Purchasing and Supply Management. Proceedings, 14th IPSERA Conference, Archamps. p. 687-697.

Leite, L. R.; Araujo, J. B.; Martins, R. A. (2011) Sustentabilidade como direcionador de evolução dos sistemas de medição de desempenho. Navus-Revista de Gestão e Tecnologia, v. 1, n. 1, p. 35-50.

Melnyk, S. A.; Stewart, D. M.; Swink, M. (2004) Metrics and performance measurement in operations management: dealing with the metrics maze. Journal of operations management, v. 22, n. 3, p. 209-218.

Mwita, J. (2000) Performance management model: A systems-based approach to public service quality. International Journal of Public Sector Management, Vol. 13, 19-37.

Nascimento, S. et al. (2010) Ferramentas gerenciais à luz do desempenho organizacional. PRETEXTO, Belo Horizonte v. 11, n. 3, 34 -57.

Neely, A.; Gregory, M.; Platts, K. (1995) Performance measurement system design: a literature review and research agenda. International journal of operations & production management, v. 15, n. 4, p. 80-116.

Neely, A.; Adams, C.; Crowe, P. (2001) The performance prism in practice. Measuring business excellence, v. 5, n. 2, p. 6-13.

Neely, A. (2005) The evolution of performance measurement research: developments in the last decade and a research agenda for the next.International Journal of Operations & Production Management, Vol. 25 No. 12, 1264-1277.

Kennerley, M. & Neely, A. (2002) A framework of the factors affecting the evolution o performance measurement systems. International Journal of Operations & Production Management, Vol. 22 No. 11, 1222-1245.

Misoczky, M. & Vieira, M. (2001) Desempenho e qualidade no campo das organizações públicas: uma reflexão sobre significados. RAP Rio de Janeiro 35(5):163-77.

Nudurupati, S. et al. (2011) State of the art literature review on performance measurement. Computers & Industrial Engineering, Volume 60, Issue 2, 279-290.

Pacheco, R. (2006) Brasil: avanços da contratualização de resultados no setor público. XI Congreso Internacional del CLAD sobre la Reforma del Estado y de la Administración Pública, Ciudad de Guatemala, 7 – 10.

Pacheco, R. (2009) Mensuração de desempenho no setor público: os termos do debate. Cadernos de Gestão Pública e Cidadania, V. 14, nº 55.

Prodanov, C. & Freitas, E. (2013) Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Universidade Feevale, 2ª ed., Novo Hamburgo.

Rosa, M. et. al. (2014) O Balanced Scorecard como ferramenta de gestão estratégica e orçamentária da Fundação Cultura de Florianópolis. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, João Pessoa, v. 2, n. 1, 39-58.

Saunila, M. & Ukko, J. (2010) Facilitating innovation capability through performance measurement: A study of Finnish SMEs. Management Research Review, 36(10), 991-1010.

Sorooshian, S. et al. (2016) Review on Performance Measurement Systems. Mediterranean Journal of Social Sciences, MCSER Publishing, Rome-Italy, Vol 7 No 1.

Striteska, M. & Spickova, M. (2012) Review and Comparison of Performance Measurement Systems. Journal of Organizational Management Studies, Vol.

Taticchi, P.; Tonelli, F.; Cagnazzo, L. (2010) Performance measurement and management: a literature review and a research agenda. Measuring business excellence, v. 14, n. 1, p. 4-18.

Vieira, M. & Dalmoro, M. (2008) Dilemas na Construção de Escalas Tipo Likert: o Número de Itens e a Disposição Influenciam nos Resultados? XXXII Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro.

Vieira, E. & Vieira, M. (2003) Estrutura organizacional e gestão do desempenho nas universidades federais brasileiras. RAP Rio de Janeiro 37(4):899-920.

Zoghbi, A. et al. (2009) Mensurando o Desempenho e a Eficiência dos Gastos Estaduais em Educação Fundamental e Média. Est. econ., São Paulo, v. 39, n. 4, 785-809.




DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v10i0.5630

Revista de Administração de Roraima -RARR
Roraima Management Review -RMR
e-ISSN: 2237-8057 | DOI: 10.18227/2237-8057rarr
Centro de Ciências Administrativas e Econômicas
Departamento de Administração
Universidade Federal de Roraima
Boa Vista - Roraima - Brasil

Telefone:+55 (95)3621-3149
Email:rarr.ufrr@gmail.com
Endereço:Av. Cap. Ene Garcez, 2413, bloco II, sala 243
Bairro Aeroporto, Campus Paricarana - UFRR
Cep:69310-000
Revista sob
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
Bookmark and Share