CAUSAS DA ROTATIVIDADE ORGANIZACIONAL: A PERCEPÇÃO DOS GESTORES DO SETOR HOTELEIRO DA REGIÃO NORTE DO RIO GRANDE DO SUL

shalimar gallon, Larissa Nardes do Nascimento, Aline Scherer, Bárbara Walter

Resumo


Este trabalho aborda a rotatividade organizacional e tem como objetivo geral identificar as causas que influenciam na rotatividade de pessoal no setor hoteleiro na percepção de gestores. Para tanto, foi exposto um panorama sobre a conceituação de rotatividade, quais as causas e consequências desse fenômeno para as empresas. Para atingir os objetivos propostos, o método utilizado foi a pesquisa qualitativa, onde foi realizado entrevistas com cinco gestores do setor hoteleiro da cidade de Passo Fundo - RS. Ao realizar as entrevistas foi possível identificar fatores individuais, organizacionais, externos e do setor hoteleiro responsáveis pela rotatividade. O principal motivo citado foi o fato de esse setor exigir carga horária aos finais de semana e feriado. Na percepção dos gestores, o salário é o segundo fator que motiva o empregado a pedir demissão. Como consequências da rotatividade foram citados os custos financeiros com admissão e demissão e, custos econômicos, como sobrecarga de trabalho e perda de produtividade. Por fim, ficou evidenciado que as empresas analisadas, não calculam o índice de rotatividade.

Palavras-chave


Rotatividade. Causas. Gestão de Pessoas

Texto completo:

PDF

Referências


Agapito, P. R., Polizzi Filho, A., & Siqueira, M. M. M. (2015). Bem-Estar no Trabalho e Percepção de Sucesso na Carreira como Antecedentes de Intenção de Rotatividade. Revista de Administração Mackenzie, 16(6), 71-93.

Aaker, D. A., Kumar, V., & Day, G. S. (2007). Pesquisa de Marketing (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Alves, L. F, & Ozaki, Y. (2009). Em busca da gestão estratégica da rotatividade de pessoal: estudo realizado na empresa A. Rela S/A. Revista de Ciências Gerenciais, 13(18), 163-176.

Andrade, J. V. (2000). Turismo: fundamentos e dimensões. São Paulo: Ática.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Buhler, L. (2009). Turnover na Hotelaria: Estudo de caso da rotatividade de funcionários de uma rede hoteleira de Curitiba. Dissertação de mestrado, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, Brasil.

Campos, C. V. de A., & Malik, A. M. (2008). Satisfação no trabalho e rotatividade dos médicos do programa de saúde da família. Revista de Administração Pública, 42(2), 347-68.

Campos, L. C. de A. M., & Gonçalves, M. H. B. (1998). Introdução a turismo e hotelaria. Rio de janeiro: Senac nacional.

Cardoso, A. F., Cardoso, J. F., & Santos, S. R. (2013). O impacto da rotatividade e do absenteísmo de pessoal sobre o custo do produto: um estudo em uma indústria gaúcha. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 3(1), 107-121.

Cardoso, A. C. F., & Paiva, T. C. F. (2010). Estudo da relação rotatividade x baixo nível de escolaridade: Estudo de caso. Unesc em revista, 28, 177-189.

Cascio, W., & Boudreau, J. (2011). Investing in people: financial impact of human resource initiatives (2a ed.). New Jersey: Pearson Education.

Chung, K. Y. (2000). Hotel management curriculum reform based on required competencies of hotel employees and career success in the hotel industry. Tourism Management, 21(5), 473-487.

Coelho, E. A. (2015). Qualidade de vida no trabalho e seu reflexo na qualidade de vida pessoal: o caso do trabalho feminino no setor hoteleiro de Viçosa-MG. Dissertação de mestrado, Universidade de Viçosa, Minas Gerais, Brasil

Cunha, M. I. D. (2016). A rotatividade de pessoas em unidades hoteleiras: o papel das práticas de gestão de recursos humanos. Dissertação de mestrado, Instituto Politécnico do Porto, Porto, Portugal.

Dalton, D. R., & Todor, W. D. (1979). Turnover turned over: an expanded and positive perspective. Academy of Management Review, 4(2), 225-235.

Davis, K., & Newstrom, J. W. (2002). Comportamento humano no trabalho: Uma abordagem organizacional. Tradução de Cecília Whitaker Bergamini e Roberto Coda. São Paulo: Pioneira.

Deery, M., & Shaw R. (1997). An exploratory analysis of turnover culture in the hotel industry in Australia. International Journal of Hospitality Management, 16(4), 375- 392.

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. (2014). Rotatividade e políticas públicas para o mercado de trabalho. São Paulo: Dieese.

Eckert, A., Mecca, M. S., Denicol, M. S. G. M., & Giacomet, M. O. (2011). As motivações e os reflexos do turnover em termos contábeis e econômicos numa entidade sem fins lucrativos no município gaúcho de Caxias do Sul. Anais da XIII Convenção de Contabilidade do Rio Grande do Sul, Caxias do Sul, RS, Brasil.

Ferreira, L. C. de M., & Almeida, C. B. de A. (2015). Rotatividade de funcionários e desempenho organizacional: um estudo no comércio brasileiro. Brazilian Business Review, 12(4), 28-61.

Ferreira, M. L. C. B., & Siqueira, M. M. M. (2005). Antecedentes de intenção de rotatividade: estudo de um modelo psicossocial. Organizações em contexto, 1(2), 47-67.

Ferreira, M. C., & Freire, O. N. (2001). Carga de trabalho e rotatividade na função de frentista. Revista de Administração Contemporânea, 5(2), 175-200.

Fidalgo, F., & Gouveia, L. B. (2012). Employee turnover impact in organizatioinal knowledge management: the portuguese real estate case. Journal of Knowledge Management. Romênia, 2(2), 1-16.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitative. São Paulo: Artmed.

Gil, A. C (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (4a ed.) São Paulo: Atlas.

Höpner, A. S. (2008). Políticas de recursos humanos e qualidade de vida no trabalho em redes hoteleiras. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Keller, P. (2000). Destination marketing: Strategic areas of inquiry. In: Manente, M., & Cerato, M. (Eds.). From Destination to Destination Marketing and Management, (pp. 29−44). Venice: Ciset.

Lakatos, E. M, & Marconi, M. de A. (2000). Metodologia Cientifica (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Lashley, C., & Lee-Ross, D. (2003). Organizational behavior for leisure services. Oxford: Elsevier.

Luz, M., & Auler, D. P. (2005). Rotatividade de pessoal em prestadores de serviços: um estudo de caso em uma associação desportiva. Revista Eletrônica Gestão e Serviços, (6)1, 1058-1083.

Malhotra, N. (2012). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman.

Martins, A. (2002). A gestão de Recursos Humanos e as especificidades do mercado de trabalho no setor hoteleiro. A Região Norte de Portugal. Dissertação de mestrado, Universidade do Minho, Braga.

Medeiros, R. R., Alves, R. C., & Ribeiro, S. R. (2013). Turnover: uma análise dos fatores que contribuem para a decisão de sair da empresa dos colaboradores da Alfa Comércio LTDA. CONNEXIO, (2)1, 115-126.

Mesquita, R. F., & Matos, F. R. N. (2014). Pesquisa qualitativa e estudos organizacionais: história, abordagens e perspectivas futuras. Anais eletrônicos do IV Colóquio Internacional de Epistemologia e Sociologia da Ciência e Administração, Florianópolis, SC, Brasil. Recuperado em 03 de maio, 2017, de http://coloquioepistemologia.com.br/site/wp-content/uploads/2014/04/ANE-113-Pesquisa-Qualitativa-e-Estudos-Organizacionais.pdf

Mobley, W. H. (1992). Turnover: causas, consequências e controle. Porto Alegre: Ortiz.

Orellano, V., & Pazello, E. (2006). Evolução e determinantes da rotatividade da mão-de-obra nas firmas da indústria paulista na década de 1990. Pesquisa e Planejamento Econômico, 36(1), 179-207.

Pinheiro, A. P., & Souza, D. A. (2013). Causas e efeitos da rotatividade de pessoal/turnover: estudo de caso de uma microempresa do setor de educação. Anais eletrônicos do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Recuperado em 16 de fevereiro, 2017, de http://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos13/58618723.pdf

Quége, M. A. (2008). Estudo sobre Rotatividade de Funcionários no Brasil. Revista Business School. São Paulo. Recuperado em 04 de fevereiro, 2017, de http://epocanegocios.globo.com/Revista/Epocanegocios/download/0,,4582-1,00.pdf

Schermerhorn, J., Hunt, J., & Osborn, R. (1999). Fundamentos de comportamento organizacional (2a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Schweitzer, E. A relação entre a motivação e a rotatividade em uma empresa. 7 p. Recuperado em 05 de fevereiro, 2017, de http://www.assesc.edu.br/download/3_jornada_ cientifica/relacaoo_entre_motivacao_rotatividade.pdf

Silva, G. L. da R. E. (2001). Controle do turnover: como prevenir e demitir com responsabilidade. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Silva, R. S., Cappellozza, A., & Costa, L. V. (2014). O impacto do suporte organizacional e do comprometimento afetivo sobre a rotatividade. Raimed, (4)3, 314-329.

Siqueira, W. R., & Alves, L. C. F. (2016). Rotatividade de professores universitários: o caso de um campus fora da sede. Revista RACEF Pesquisa, (7)2, 94-107.

Souza, S. R. R. K. (2003). A rotatividade e as condições de trabalho dos profissionais de enfermagem: um enfoque da ergonomia. Dissertação de mestrado, Universidade federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Strapasson, A. M. H., Concolatto, C. P., & Ferreira, G. M. V. (2007). Rotatividade de pessoal: um estudo de caso na agroindústria. Anais do I Encontro de Gestão de Pessoas e Relações no trabalho, Natal, RN, Brasil.

Triviños, A. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Vergara, S. C. (2010). Método de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.

Zaratini, A. J., & Padilha, V. (2010). Trabalho e tempo livre: um estudo sobre qualidade de vida no trabalho com gerente do setor hoteleiro. Revista FACEF Pesquisa, 13(2), 204-220.




DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v8i2.4973

Revista de Administração de Roraima -RARR
Roraima Management Review -RMR
e-ISSN: 2237-8057 | DOI: 10.18227/2237-8057rarr
Centro de Ciências Administrativas e Econômicas
Departamento de Administração
Universidade Federal de Roraima
Boa Vista - Roraima - Brasil

Telefone:+55 (95)3621-3149
Email:rarr.ufrr@gmail.com
Endereço:Av. Cap. Ene Garcez, 2413, bloco II, sala 243
Bairro Aeroporto, Campus Paricarana - UFRR
Cep:69310-000
Revista sob
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
Bookmark and Share