INVESTIGAÇÃO DA INOVAÇÃO E SUBVENÇÃO ECONÔMICA EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO AMAZONAS

Rafael Dantas Oliveira, Ricardo Jorge da Cunha Costa Nogueira

Resumo


O objetivo do presente artigo é demonstrar um panorama acerca da gestão da inovação e subvenção econômica em micro e pequenas empresas (MPEs) no Estado do Amazonas. Para tanto, serão utilizados dados oficiais publicados em língua portuguesa, na base de dados da Pesquisa de Inovação (PINTEC), do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) com projetos e editais de subvenção econômica ligados à gestão da inovação em MPEs. A metodologia utilizada é de natureza exploratória e descritiva, de abordagem qualitativa. Os principais resultados foram que há projetos desenvolvidos com esforços Federais e Estaduais que destinam o apoio às iniciativas de inovação às MPEs do Estado. Sobre o tema a gestão da inovação pode contribuir para seu desenvolvimento a partir das oportunidades de subvenção especialmente as não reembolsáveis. Conclui-se também a centralização que ocorre nas ações de apoio o qual ocorre em apenas algumas instituições demonstrando o pouco relacionamento entre demais órgãos públicos ou privados para desenvolvimento deste ambiente.

Palavras-chave


Gestão da inovação, Micro e Pequenas Empresas, Subvenção econômica

Texto completo:

PDF

Referências


ARBIX, G. Inovação: estratégia de sete países. Brasília, DF: ABDI, 2010.

AUCÉLIO, J. G.; SANT’ANA, P. J. P. de. Trinta anos de políticas públicas no Brasil para a área de Agricultura. Revista Parcerias Estratégicas, Brasília, n. 23, p.252-268, 2006.

BRASIL. Lei n. 10.973, de 2 de dezembro de 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e àpesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2016.

CALMANOVICI, C. E. A inovação, a competitividade e a projeção mundial das empresas brasileiras. RevistaUSP, São Paulo, n. 89, maio 2011.

CASSIOLATO, J., LASTRES, H. “Sistemas de Inovação: políticas e perspectivas”, Parcerias Estratégicas, n. 08, pp. 237-255. 2000.

CAVALCANTE, L.R. Consenso difuso, dissenso confuso: paradoxos das políticas de inovação no Brasil. Radar-Tecnologia, Produção e Comércio Exterior, Brasília: IPEA, n.13. 2011.

CHESBROUGH, H. Business model innovation: opportunities and barriers. Long Range Planning, vol. 43, pp. 354-363, 2010.

DIEESE- DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS Perfil das Micros e Pequenas Empresas no Município de Manaus, Termo de Contrato Nº. 005/2011 SEMTRAD e DIEESE. São Paulo, 2011.

DRUCKER, P.F. Inovação e Espírito Empreendedor. 1ª. Edição. Rio de Janeiro: Editora Campus, 2008.

FAPEAM- Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas. Relatório de Atividades 2014. Manaus-AM, 2014. Disponível em: Acesso em: 25 out. 2015.

FELDMAN, M.P.; KELLEY, M.R. The ex ante assessment of knowledge spillovers: government R&D policy, economic incentives and private firm behavior. Research Policy, V. 35, p. 1509–1521, 2006.

FINEP- Financiadora de Estudos e Projetos. Subvenção econômica. Disponível em: < http://www.finep.gov.br/capoio-e-financiamento-externa/instrumentos-de-apoio/subvencao-economica> Acesso em: 16 fev. 2016.

GONÇALVES, C. A.; MEIRELLES, A. M.. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

HIRSCH-KREINSEN, H. Low-tech innovations. Industry and Innovation, vol. 15, n. 1, pp. 19–43, 2008.

LOPES, A.P. V. B. V. et al. Innovation management: a literature review about the evolution and the different innovation models. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON INDUSTRIAL ENGINEERING AND OPERATIONS MANAGEMENT, 2012, Guimarães. Proceedings... Rio de Janeiro: ABEPRO, 2012.

MONTANHA JUNIOR, I. R. et al. Importância, Definições e Modelos de Inovação. In: CORAL, E.; OGLIARI, A.; ABREU, A. F. (Ed.). Gestão Integrada da Inovação: Estratégia, Organização e Desenvolvimento de Produtos. São Paulo: Atlas, 2008. p. 1-13.

MORAIS, J. M. Programas especiais de crédito para micro, pequenas e médias empresas: BNDES, Proger e Fundos Constitucionais de Financiamento. In: DE NEGRI, J. A.; KUBOTA, L. C. (Org.). Políticas de Apoio à Inovação Tecnológica no Brasil. Brasília: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, v. 1, 2008. p. 389-433.

OECD - ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT, 2005, Oslo manual: the measurement of scientific and 94 technological activities. 3. ed. Paris: OECD. Traduzido pela FINEP. Disponível em: Acesso em: 27 Out. 2015.

RAPINI, M. S., SILVA, L., & SCHULTZ, S. (2010). Instrumentos financeiros de apoio à inovação: como é a participação das empresas mineiras. Anais do Seminário sobre a Economia Mineira, 14.

ROPER, Stephen; ARVANITIZ, Spyros. From knowledge to added value: A comparative, panel-data analysis of the innovation value chain in Irish and Swiss manufacturing firms. Research Policy, vol. 41, pp. 1093-1106, 2012.

SCHUMPETER, Joseph A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo, Abril Cultural. 1982.

SEBRAE. Anuário do trabalho na micro e pequena empresa 2014. Brasília, 2015. Disponível em: < http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Anuario-do%20trabalho-na%20micro-e-pequena%20empresa-2014.pdf> Acesso em: 15 dez. 2015.

SEPÚLVEDRA, Leonardo Sampaio. Capacidade e inovação: a influência da gestão na capacidade de inovação das MPEs. Dissertação. UFBA. 2013. Disponível em: Acesso em: 10 fev. 2016.

SEVERINO, A. J. (2007). Metodologia do Trabalho Científico (23ed). São Paulo: Cortez.

SUFRAMA- Superintendência da Zona Franca de Manaus. PIM fecha 2014 com faturamento de R$ 87,2 bilhões. Manaus-AM, 2015. Disponível em: < http://www.suframa.gov.br/suf_pub_noticias.cfm?id=16896> Acesso em: 16 fev. 2016.

TIDD, J.; BESSANT, J. Gestão da Inovação. 5ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

VIOTTI, E. B. Brasil: de política de C&T para política de inovação? Evolução e desafios as políticas brasileiras de ciência, tecnologia e inovação. In: CGEE - CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS. Avaliação de políticas de ciência, tecnologia e inovação: diálogo entre experiências internacionais e brasileiras. Brasília: CGEE, 2008.

WEERAWARDENA, J.; MAVONDO, F. T. Capabilities, innovation and competitive advantage. Industrial Marketing Management, vol. 40, pp. 1220-1223, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.18227/2237-8057rarr.v7i2.3483

Revista de Administração de Roraima -RARR
Roraima Management Review -RMR
e-ISSN: 2237-8057 | DOI: 10.18227/2237-8057rarr
Centro de Ciências Administrativas e Econômicas
Departamento de Administração
Universidade Federal de Roraima
Boa Vista - Roraima - Brasil

Telefone:+55 (95)3621-3149
Email:rarr.ufrr@gmail.com
Endereço:Av. Cap. Ene Garcez, 2413, bloco II, sala 243
Bairro Aeroporto, Campus Paricarana - UFRR
Cep:69310-000
Revista sob
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
Bookmark and Share